terça-feira, 22 de novembro de 2016

Testado e aprovado!

Outro dia precisei comprar emergencialmente 2 agulhas circulares de 3,0 e 4,0 mm com 80 cm mas estava sem tempo para esperar a entrega por compra online (sem falar que realmente não preciso de agulhas). Como já estava no Armarinhos Ambar  na 25 de Março arrisquei perguntar se não tinham agulhas circulares.
Qual não foi minha surpresa ao me deparar com um lançamento da Pingouin! Agulhas circulares!!!! Êba! A princípio não botei muita fé no produto levando em conta o preço informado: a agulha 3,0mm custava R$ 2,90 e a 4,0 mm estava um pouquinho mais cara, R$ 3,30.
Pedi para ver, perguntei se podia abrir a embalagem para 'sentir' a junção do cabo com a agulha e ver como era a memória do fio de náilon. E..... Bingo! Surpresa! A junção do fio com a agulha era perfeita, o cabo razoavelmente flexível e ainda por cima a ponta me pareceu fina o suficiente para tecer pontos rendados com fio de algodão.
Além do preço super convidativo, me surpreendi com  a numeração disponível: de 2,0 a 12 mm, nos comprimentos de 60 e 80 cm.


Comprei e quando cheguei em casa já fui logo comparar com outra agulha com o mesmo tipo de acabamento: alumínio com pintura eletrostática para ver se estava 'vendo coisas' ou se a ponta da agulha da Pingouin era tão boa quanto imaginei.
A comparação foi feita com as agulhas Prym alemãs que uso a 24 anos
A ponta da agulha Pingouin não ficou nada a dever às minhas amadas alemãzinhas. Já o cabo é um pouquinho mais duro, mas permite fazer o 'laço mágico' sem muito sufoco.




Os testes finais foram práticos: peguei uma sobra de linha Bella, montei alguns pontos na agulha 4,0 mm e teci primeiramente em meia. A princípio achei que o fio não estava deslizando na agulha como deveria. Resolvi passar um pano úmido na mesma para ver se melhorava e deu certo. O trabalho fluiu como deveria.
Resolvi arriscar a usar no  meu trabalho rendado com linha Esterlina 5  a agulha 3,0 mm, meio insegura porque se a agulha enroscasse seria um martírio trabalhar com ela.
Depois da primeira volta e começado o ponto rendado, mais uma surpresa boa: a danadinha da Pingouin não enroscou e o fio não brigou nem um pouco os os 240 pontos que estava tecendo.


Resumindo, agulhas aprovadas com pouquíssimas ressalvas: seria legal se o acabamento eletrostático permitisse que o fio deslizasse um pouco mais (lembrando que ainda não testei com outros tipos de fios além do algodão) e se a numeração aparecesse gravada no corpo da agulha como  na agulha alemã.

Resta apenas saber onde encontrar as agulhas, principalmente em lojas online já que na Ambar elas ainda não aparecem no site (já mandei um email prá eles....rsr). Também achei para vender online na Lãs Formosa  mas alguns tamanhos estão em falta.

Como sempre falo, agulha boa é aquela que cabe no seu bolso e parece que a Pingouin acertou em cheio com este lançamento 'bom e barato'. Parabéns à Pingouin pela iniciativa e que venham outras novidades para as tricoteiras arteiras de plantão.

5 comentários:

Anônimo disse...

que ótima notícia, obrigada bjo, carmen

Jeane Piovesan disse...

Também já usei evgostei muito. Super recomendo.

Daiane disse...

Oi Grace,

As minhas chinezas ordinárias no começo também enroscaram um pouco. Na verdade estavam com um arrupio terrível nas pontas. Mas depois de um pouco de uso elas tomaram jeito!

Acho que é o polimento natural do trabalho que vai ajeitando as coisas.

Adorei saber do lançamento da agulha (que estranhamente só descobri pela sua postagem) porque é sempre bom poder contar com o armarinho de bairro na hora da emergência <3

Abraços e obrigada por compartilhar!

Claudia (Cacau) disse...

Bom dia Grace,

Agradeço a dica dividida com a gente, não tenha dúvida que irei comprar umas quando eu for na 25, já que você disse que elas não deixam a desejar com suas alemãs, já que eu não tenho nenhuma alemã vou de pingouin, hahaahh

obrigada

TRUE NERD disse...

Herdei umas agulhas de minha mãe (pingouim), da época em que ela ainda tricotava. Ela fez várias roupinhas e mantas para minha irmã mais nova, que hoje conta com seus 39 anos. As minhas são de alumínio, e tirando uma que quebrou a ponta, ainda estão firmes e fortes. Realmente essas pintadas seguram um pouco o fio, mas também são gostosas de usar. Se me perguntarem qual a melhor eu respondo que é aquela com a qual você se sente bem tricotando. Seja pelo tamanho do fio ou pelo deslize deste na agulha, cada um tem uma preferência. O importante é continuar tricotando...risos.