quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Revogando a Lei de Gerson pelo bem do tricô

Muitas de voces tem acesso a todo tipo de revista impressa ou eletrônica. Muitas de voces são 'velhas amigas ' do tricô. Conhecem muita coisa boa que é veiculada nas dezenas de livros e revistas maravilhosas que encontramos lá fora. Eu mesma tenho uma pequena biblioteca 'tricotística' que só não cresceu mais por enquanto por falta de recursos materiais. Busco sempre por informação, inspiração e sou maluca para aprender novas técnicas. Adoro um desafio!

No início deste ano estava envolvida com um projeto grande de criação e acabei assinando a Revista Revista Vogue Knitting para me interar melhor com as novidades. O primeiro exemplar que recebi foi a Edição de Inverno 2006/2007. Literalmente enlouqueci com a criação da estilista americana Norah Gaughan. Com maestria e toques de gênio ela brincou com formas geométricas e formas da natureza. Os pentágonos que compõem o seu 'capecho' (o nome é uma mistura de xale, cachecol e shrug ou mini bolero)remete a nossa imaginação às formas de cristais de gelo. Uma obra prima. Aliás, Norah cria coisas inimagináveis no seu livro Knitting Nature. Viaja por cores e formas requintadas em suas criações para os fios Berroco.

Fiquei tão encantada com a concepção do modelo que enquanto não desvendei os mistérios da sua exeução não sosseguei. O famoso bolero Vogue foi literalmente dissecado por vária componentes de um grupo de tricô do qual faço parte. Cheguei a decorar a quantidade de pontos de cada elemento que compõe o pentágono. Mas e dai?

Passado o momento de deslubramento inicial, desisti de tecer um capecho para mim porque já não representava um desafio.

Tempo vai, tempo vem e não é que fui 'atropelada' por um 'capechão' que cruzou o meu caminho.

Levantei, dei a volta por cima e me lembrei da Lei de Gerson: "Eu gosto é de levar vantagem em tudo! Certo!?"

E porque cargas d'água a Lei de Gerson me veio a mente? Só para me lembrar que um capechão não derruba uma mente criativa. Não conquista espaço, simplesmente invade espaços sem ser convidado. Pode até incomodar porque é grande e disforme, mas desaparece no ar como fumaça perniciosa que faz mal aos olhos. Como toda cópia, jamais terá identidade própria. Não faz jus a criação original de Norah Gaughan.

Capechão não é Capecho!.

E a Lei de Gerson? Esta certamente será revogada por muitos, algum dia.

Para quem acha que estou delirando, que o 'capechão' não existe, olha ele aqui e aqui, oh!

13 comentários:

gisele disse...

Querida Grace
Pelo menos nas fotos originais do modelito conseguimos ver as reais formas do pentágono, a intersecção, as mangas, os acabamentos, etc.
Coisa impossível na cópia, resultando naquela massa de lã disforme. Até para copiar tem que ter talento.
Bjs.
Gisele

Anônimo disse...

Grace,

Só agora pude entender, pois na foto do concurso foi impossível!
Cópia deslavada...
Mas fiquei feliz com a sua vitória!

Bjs,

Valesca

Eu e as Agulhas disse...

As fotos mostram bem a "semelhança", mas com diz nossa amiga Rosa, existem pessoas que só conseguem reproduzir uma peça e "ARTISTAS" que podem criar VÁRIAS!!!
Você é Artista!!!! Cria peças maravilhosas!!! Parabéns!!
1000Beijos
Miriam

Jane disse...

Ela deve ter tentado fazer o bolero e como ele ficou grande (o meu tb ficou enorme) resultou num Pala com gola em cima e embaixo. Você viu que nem aí ela teve criatividade, até a gola é a mesma! credo!


Beijos

Claudinha disse...

Grace querida! Mil vezes vc e sua CRIATIVIDADE!

Seus trabalhos são lindos, delicados, bem executados...

Sem falar que a peça que vc fez ficou um charme só!!!

(Eu só quero ver se ela vai ter coragem de usar aquilo em público...)

Vc é minha ídala! rsrs...

Bjoss Claudinha

Anônimo disse...

Não quero repetir. Leiam o que escrevi no blog feitoamao, da Solange Camargo. O comentário da Claudinha bate com o meu.
Stella

Anônimo disse...

Grace fiquei feliz demais com sua visita no meu cantin,volte sempre.
Quanto ao concurço ligamos daqui de casa eu meu marido,minhas duas filhas e tres nora (sou sogra...ninguem é perfeito.)Mas pra quem entende do riscado o primeiro lugar é seu mes e tenho dito.
Bom domingo procê.
Beijoca.
Nilda
http://meucantin5.blogspot.com/

Cláudia disse...

gostaria de saber se os organizadores do concurso já viram isso?

Cláudia disse...

Mas como todo mundo já falou, voce é a vencedora sim,porque teve criatividade,não é a toa que te linkei no meu bloguinho, como diz lá,(gente muito boa),todas amigas.bjks.

Cris disse...

Corrijam-me se eu estiver errada: não era um concurso para criar uma peça? Eu entendo por criar alguma coisa fazer algo que NÂO exista! Você é a vencedora Ponto final.

Bjs,

Cris

Naiara disse...

Decepção geral!!! Como podem fazer um concurso assim? Onde uma cópia grosseira e mal feita ganha primeiro lugar? Isso foi um desrespeito não só com você, mas com todas as pessoas que bateram a cabeça, gastaram dinheiro e tempo para CRIAR algo como vc fez, e que ficaram de fora. E mais, com que conhecimento a Línea Itália simplesmente generaliza respondendo que todos de certa forma fizeram uma peça copiando de outra já existente? Espero sinceramente que a Vogue tome conhecimento disso e tome as devidas providências. E quanto a você, considere-se a grande vencedora do concurso. Sua peça está simplesmente linda! Combinação de cores, textura, caimento e leveza dignas de uma expert em tricot!!!! Parabéns pela CRIAÇÃO!!!!! (um dia ainda chego lá...rs)
abração!!!

Anônimo disse...

sinceramente, quando vi o tal capechão a primeira vez, achei que nem devia estar no concurso, porque é realmente esquisito, agora que vi o verdadeiro (e fiquei apaixonada por ele) vejo que realmente é realmente tétrico... e concordo com a Rosi do fiodameada, o 1º lugar é teu... e quando crescer quero ser igual a você.
bjs.
Luciana

Roberta Granada disse...

Oi, adorei a receita , tudo muito lindo como sempre,visite meu blog também,sobre artesanato em geral, com várias receitas,beijokas
http://agulhaetricot.com
http://agulhaetricot.blogspot.com
http://titacarre.elo7.com.br