segunda-feira, 17 de setembro de 2007

A base da sua obra de arte

(Este é Gato KIM , amada criatura que me acompanha a 13 anos)

Nas postagens anteriores falei sobre as ferramentas básicas e auxiliares para a criação da sua obra de arte. Agora chegou a vez de falar sobre a tela, ou melhor os fios que serão tramados, tecidos, para criar algo único e feito por você.

Nas minhas andanças pelas lojas que comecializam insumos para tricô e crochê sempre ouço a clássica pergunta às vendedoras, será que este fio é bom prá fazer cachecol? Bem, todo fio é bom para tecer qualquer coisa, porém a escolha certa dos fios e agulhas vão garantir o sucesso ou fracasso do seu trabalho. Costumo dizer sempre que se você é principiante, nunca pegou numa agulha, mas está enlouquecida com a idéia de fazer um cachecol lindo "igualzinho" àquele que viu naquela loja cara, compre um fio simples e baratinho para aprender. Os fios não costumam gostar de serem desmanchados, puxados, enrolados beeeemmm apertados em bolinhas....De repente você muda de idéia porque descobre que o tricô não é a sua praia e aí desperdiça dinheiro. Mas se depois de ter praticado um pouquinho, você realmente descobre que jamais conseguirá viver novamente sem tricotar nem que seja só um cachecol, vá em frente. Os grandes artistas também começaram assim...

Esqueça os fios peludos, com torção irregular ou fios texturizados (borbotos, bouclês) porque são difíceis de trabalhar para quem não tem o domínio das agulhas. Passado o primeiro momento de euforia com tantas opções tentadoras, você finalmente opta por um fio de aparência simples e sem muitos detalhes. E agora que agulha eu compro? É nessa hora que a leitura do rótulo entra em cena. Antes de comprar uma agulha grossa ou fina demais, leia o rótulo! Leia com atenção todas as infomações e só aí compre sua agulha.

E o que significa o que está lá escrito nos rótulos com letras pequenas e linguagem indecifável em alguns trechos?
Veja os exemplos abaixo


Teoricamente todos os rótulos contêm as mesmas informações, mas ainda não há um concenso entre os fabricantes ou importadores brasileiros sobre o que realmente deve ser informado ao consumidor . Todas as informações contidas no rótulo são relevantes, mas a mais importante é a sugestão para numeração de agulha. Tricô bonito é tricô com consistência e não uma coisa mole, que desaba no corpo quando é usado. O tricô fica macio porque você usou um fio de boa qualidade, escolheu agulhas e pontos compatíveis com o fio. Portanto esqueça a idéia de usar uma agulha da grossura de um cabo de vassoura só pra dizer que fez um tricô 'arejado' ou fofinho. Tricô arejado é renda de tricô, feito com fio fino e delicado, agulha fina e ponto trabalhado. Agulhas novas, com pontas inteiras e superfície lisa são ferramentas fundamentais para o sucesso da sua obra de arte. Se você nunca teceu nada, comece com um fio proporcional à agulha 5,0 ou 6,0. Essas agulhas não são nem muito finas nem muito grossas. O rendimento do seu trabalho será visto rapidamente e você não vai desanimar.
Escolhida a agulha, compre a quantidade suficiente de fio para o seu projeto. Para um cachecol bonito com boa medida, você gasta entre 150 e 200 gramas de fio dependendo da espessura e trama do ponto escolhido. Quanto mais grosso o fio, mais você irá consumir.
Compre tudo de uma vez para não correr o risco de voltar a loja e não encontrar a mesma côr e partida ou lote. O conceito de cor é óbvio, porém o que é partida ou lote? Esses tais lotes ou partidas são importantes sim, mas vou falar disto daqui a alguns dias.

Quanto as instruções de lavagem, elas estão lá no rótulo para garantir a vida do seu trabalho. Os fios brasileiros de um modo geral não foram feitos para serem lavados a máquina. Mas se sua máquina possuir ciclo de lavagem para tecidos delicados, nada impede que você coloque seu trabalho dentro de uma fronha ou saquinho para lavar lingerie e lave à maquina. Só não recomendo centrifugar. Mas o ideal é lavar seu lindo trabalho à mão, com um sabão neutro, sabão de côco ou mesmo um pouquinho de xampú, caso não tenha nenhuma das opções anteriores. Use sempre água fria, ou no máximo morna. Deixe de molho por alguns minutos, agite a peça um pouquinho, enxague bem, se possível retire o excesso de água numa toalha. Evite torcer ou pendurar a peça. Deixe-a secar na horizontal, num lugar ventilado.
Uma dica para garantir que seu tricô continue branco, caso seja branco, é deixá-lo de molho por meia hora numa solução de bicarbonato de sódio e água (uma colher de sopa para cada litro de água) antes de lavar. Passado este tempo, enxague bem e lave normalmente com o sabão apropriado. Tricôs brancos não gostam muito de amaciante... Tendem a amarelar.







4 comentários:

Majot disse...

Muito oportuna a sua postagem Grace, ótimas as dicas. Tanx !
Beijocas
Majot

Anônimo disse...

Oi Grace!
Estou adorando seu blog, ele é muito didático.Nem sei como empregar o termo certo, mas quando o abro sinto que ele tem consistencia, informações precisas e oportunas.
Só sei que quando temos vontade de aprender um espaço desse é muuuuito útil, sempre há muito o que saber.
Obrigada pela disposição em compartilhar!
Beijos
Gislene

trichegege Geni disse...

Bom tudo que vc diz é útil e ainda pode ajudar muito pessoas como eu que se atiram como louca só porque gostou da côr ou porque alguém disse que usou a verdade é que eu não entendo nada de tricô e nem ou muito menos de lã e tamanhos de agulhas, quanto mais eu leio o que vc escreve mais eu percebo que tenho muito o que aprender, continue a nos dar lições como essa pois um dia com certeza poderemos dizer orgulhosa aprendi com a Grace.

Rosi disse...

Lady Grace,fiz um post só prá ti lá no blog.
Beijoconas,
Rosi